login

Oxigénio-Ozonoterapia


A Ozonoterapia Medicinal (95% de oxigénio e 5% de ozono) consiste na administração de OZONO em concentrações adequadas para o organismo, com a finalidade de regular o stress oxidativo celular, aumentar as substâncias antioxidantes, reduzir os radicais livres, modular o sistema imunitário por activação da produção de citoquinas e estimular a micro-circulação por inibição da agregação plaquetária e eritrocitária.

O OZONO tem efeitos analgésicos, anti-inflamatórios, bactericidas e germicidas.


Modo de actuação

 Promove uma melhor oxigenação de todas as células, com redução de produtos de oxidação celular resultantes de doenças, medicação, factores ambientais, deficiente alimentação e imobilidade, entre outras causas.

Tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas a nível articular e dos tecidos moles.

 Estimula a imunidade aumentando a produção de  linfócitos T, diminuindo a produção de radicais livres e de citoquinas pró-inflamatórias.

Melhora a micro-circulação e inibe a agregação plaquetária e eritrócitária, germicida, virucida e bactericida.

Indicações:  

  • Ateroesclerose sistémica e cerebral (retarda o envelhecimento dos neurónios)
  • Doenças degenerativas que atingem o sistema nervoso central e periférico (doenças desmielinizantes, doença de Parkinson, demências)
  • Doenças auto-imunes:
    • Artrite reumatóide
    • Artrites seronegativas
    • lupus
  • Diabetes Mellitus
  • Doenças do tubo digestivo:
    • Gastrite
    • Helycobacter Pilori
    • Hepatite (doenças hepáticas)
    • Doenças do cólon
  • Doenças inflamatórias ginecológicas:
    • Endometrioses
    • Infecção pelo vírus papiloma
    • Vaginoses bacterianas
  • Infecções urinárias de repetição, pielonefrites
  • Psoriase, micoses, feridas, úlcera varicosas, escaras
  • Artrites e artroses do ombro, joelho, anca, coluna vertebral (cervical, dorsal e lombar)
  • Infecções periodontais: 
    • gengivites
    • periodontites

Doenças oncológicas - como método complementar da quimioterapia e radioterapia, optimizando o efeito desses tratamentos nas células cancerosas, evitando ou diminuindo efeitos secundários que podem acontecer durante os tratamentos, além de contribuir para um reforço imunitário dos pacientes.


Vias de aplicação 

  • Endovenosa: 
    • Autohemoterapia maior e perfusão de soro ozonizado
  • Intra-muscular: 
    • Autohemoterapia menor, pontos gatilho
  • Insuflação rectal
  • Instilação vaginal, vesicular e intradérmica
  • Infiltração intrarticular, peri-articular e intra-discal
  • Aplicação tópica: óleo ozonizado, água ozonizada


.